sábado, 18 de novembro de 2017

Porto Covo, na baía

 
 

Gosto dos reflexos laranja do sol nos barcos e nas águas calmas da baía ao fim do dia. Gosto de sentir a noite a chegar e saber que mais um dia luminoso virá amanhã. Gosto de poder estar assim tranquila a apreciar, a sentir, a viver este momento que é meu.
Porto Covo, Agosto 2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Fim-de-semana em Elvas

 
A vista do Forte da Graça, onde decorria o Festival Traço 17
 





À noite na Praça da República



Domingo de manhã, em dois momentos...



E porque nem só de desenho vive o homem (e a mulher...) ...


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

O Caminho da Costa

 
O chamado Caminho da Costa, é, de todos os Caminhos de Santiago, o mais recentemente reconhecido. Começa no Porto, na Sé, e tem grande parte do seu percurso junto ao mar. É um caminho lindíssimo que vale mesmo a pena conhecer!
 
Fui convidada por uma editora espanhola, juntamente com a Teresa Ruivo, a desenhar o percurso em Portugal, e a Isabel Seidell e a Blanca Escrigas o percurso em Espanha. Esses desenhos serão editados num livro a lançar em Novembro durante a segunda edição da Compostela Ilustrada, em Santiago de Compostela, e estarão também presentes numa exposição.
 
Estes são dois desenhos (em caderno), dos muitos que fiz este verão.
 
E para quem tiver curiosidade aqui vai o link para a inscrição no evento bem como mais informações:
 
Adorava ter muitos portugueses lá!!

 
 Os moinhos de Vento da Apúlia


A chegada a Vila do Conde

sábado, 12 de agosto de 2017

Chicago Day 6


It´s time to say goodbye a uns dias fantásticos! Foi mesmo muito muito bom!

Na Federal Plaza acabei um desenho que tinha começado anteriormente...





Junto ao rio, com o Wrigley Building, a Tribune Tower e a ponte DuSable como tema dominante do meu desenho, o rio como sempre com a sua calma, indiferente à minha pena de ter que me ir embora... a despedida mesmo antes de ir a correr para o hotel e para o aeroporto.

Adeus Chicago, gostaria mesmo muito de aqui voltar!



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Chicago Day 5


Manhã com Paul Heaston, "Scalling tall buildings in a single sketch"!
Fomos para Chase Square. Cinco pontos de fuga já é mais a minha praia... Gostei muito!




Aproximava-se o final do simpósio e com ele o Sketchkrawl da praxe, no Grant Park.

A desenhar ao estilo FL...





Ao estilo Simone...





E toca a ir para a festa final, o Silent Auction onde consegui um desenho da Pat e o momento em que se diz que o próximo simpósio vai ser no... Porto!!!

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Chicago Day 4


Foi o dia com mais Workshops. De manhã com a Marion Rivolier e de tarde com a Simone Ridyard.

Com a Marion andámos uns 20 minutos até ao rio, o tema era pintar os céus e os seus reflexos nos edifícios. Muito difícil sair da minha linha, querida e protectora, não entrar em pânico por estar a desperdiçar uma manhã em Chicago só a fazer porcaria!!

De tarde com a Simone Ridyard, cujos desenhos adoro, passei 2 horas a ouvir falar de 1 ponto de fuga, 2 pontos de fuga... Não entendi que ia ser um Workshop tão básico de perspectiva, mas no final gostei de ver como ela desenha e como aplica a aguarela. E tentei copiar...





quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Chicago day 3


Primeiro dia de Workshops. Comecei com a Pat Southern-Pearce cujos desenhos adoro! E ela é uma pessoa tão querida, a forma como responde aos comentários no Instagram ou no FB é sempre tão delicada e meiga...

O Workshop foi dado numa Escola de Arte perto do quartel general do simpósio.
Desenhámos letras utilizando a base por ela fornecida e com canetas de várias cores, fizemos alguns desenhos inspirados em desenhos dela e um último à janela com vista para o Millennium Park.
Linha, lápis de cor, e umas canetas tipo ceras aguareláveis muito macias que a seguir comprei no Barnes & Nobles. Mais tralha para carregar...












Durante a tarde continuei no meu caderno cinza a treinar o estilo da Pat.

Primeiro na Federal Plaza ode está uma estátua do escultor americano Alexander Calder, que eles designam com o Calder Flamingo...





... e ao fim da tarde junto ao rio a beber uma cerveja, com a bela grupeta do costume!




Ainda fiz um desenho ao jantar, acho que desta vez estava possuída, não parava de desenhar...

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Chicago, Day 2

 
O edifício do Chicago Tribune fica na Pioneer Court, junto ao rio, assim como uma estátua do Lincoln e do cidadão comum. Não averiguei muito mais acerca da mesma. Gostei da escala contrastante deles com os edifícios, e da Tribune Tower com os motivos góticos lá no cimo!
 



No Millennium Park (que tem wi-fi grátis), existe uma sala de concertos ao ar livre, fica o Jay Pritzker Pavillion. Um tempo de desenho e de prazer a ouvir um concerto de Kodály, e também um pequeno escaldão pois o sol estava quente!





O Cloud Gate, que já ganhou a alcunha de "bean", atrai e diverte as pessoas que passam no Millennium Park. Também eu estou reflectida na imagem deste espelho gigante convexo...
 
 


É hora de ir buscar as badges e fazer a acreditação no simpósio! É sempre o momento de rever alguns, de ver os gifts, ver as bancas das marcas de cadernos, pincéis, etc...

Chegado o fim da tarde, o rio chama-nos!
Mais um desenho a beber uma cerveja (a Rita Catita e o Nelson ainda couberam no desenho...), a ver os barcos a passar, as festas on board a acontecer, que divertido, que energia! Só coloquei uma das duas torres do Marina Towers, uma das imagens que me ficou de Chicago a primeira vez que aqui estive...


domingo, 6 de agosto de 2017

Chicago, no 8º simpósio dos Urban Sketchers!


Este ano aconteceu o 8º Simpósio internacional dos Urban Sketchers.
Já tinha visitado Chicago há muitos muitos anos, e apesar de esperar rever uma cidade muito bonita, o que encontrei excedeu as minhas expectativas.
Uma das coisas que mais me fascinou foi a ligação com o rio, com passeios, zonas de estar, esplanadas, restaurantes e como as pessoas usam e abusam destes espaços. Depois toda a energia e modernidade desta grande cidade!

Cheguei segunda-feira à tarde, tive tempo apenas para um pequeno reconhecimento que incluiu ir à loja de Art Supplies e comprar alguns tubinhos de aguarelas Daniel Smith!

Na terça-feira amanheceu com sol e não demasiado calor, a temperatura ideal para se estar ao ar livre.
Um primeiro desenho junto ao Chicago Theatre, na State Avenue, perto do hotel onde fiquei hospedada.





Depois já junto ao rio no que eles chamam Riverwalk, a olhar uma das muitas pontes que o atravessam. Que bonito que é tudo isto, não parava de pensar! E que dificuldade é escolher o que desenhar com tantas opções!




 

Não podia faltar ao passeio de barco para ver a arquitectura da cidade, onde fui fazendo desenhos super rápidos no meu caderno.
Ao fim do dia, subimos a Michigan Avenue até ao extremo norte, onde fica o edifício do John Hancock Center. Em frente fica a Fourth Presbyterian Church, em cujo páteo fiz este desenho a olhar o edifício. São aqueles momentos em que penso que às vezes tenho mais olhos que barriga...


 
 
 
À noite fomos todos, o grupo dos portugueses, comer uma pizza daquelas muito altas e também muito boas!
 
 

sexta-feira, 21 de julho de 2017

10x10, no Teatro Romano

 
Mais uma sessão do 10x10, com a Guida Casela a guiar-nos e a inspirar-nos...
 





missa na igreja de São Domingos

 
Um desenho marca sempre um momento ou uma memória, como este, durante a celebração da missa no dia do segundo aniversário do falecimento do meu pai...
 
 
 
23 de Maio de 2017


last April in the Netherlands


Só o título é em inglês pois ainda não me dei ao trabalho de colocar o meu blog bilingue...
 
Quando não há mesmo tempo para mais ou a falta de tempo é a desculpa que se arranja para não desenhar, restam os tempos dentro dos restaurantes, onde se torna mais difícil arranjar a desculpa do tempo...
 
Tanto tempo e tão pouco afinal...
 
 





sexta-feira, 16 de junho de 2017

no Miradouro da Senhora do Monte

 
Mais uma sessão dos 10 years x 10 classes, desta vez com o Pedro Loureiro.
 
Cheguei atrasada, tive que fazer o primeiro exercício muito rápido (o skyline corrido de Lisboa), enquanto tinha que agarrar as pontas do meu vestido para não levantar voo, pois estava uma tão grande ventania e a temperatura começava a baixar!
 
 


No segundo exercício tratava-se de ligar um ponto alto a um ponto baixo, criando um percurso.~
As minhas colegas disseram-me que o que eu via e que parecia uma rua (vim a saber que era uma escadaria) se chamava o Caracol da Graça. Que nome estranho!



O terceiro exercício fui fazê-lo no dia seguinte, pois na véspera não aguentei o frio, mesmo com a écharpe que a Ketta simpaticamente me emprestou.
A luz da manhã torna a vista deste miradouro muito mais bonita, pois vemos a cidade toda iluminada. Para mim os miradouros deste lado são para visitar de manhã, enquanto que o de São Pedro de Alcântara é para visitar de tarde, com esta encosta toda em luz!
Apanhei rapidamente uma guia a debitar conversa, meio espanhol, meio português, mas que rapidamente se foi embora com os clientes...
Realmente hoje o turismo é "toca e foge", as pessoas depois podem ver nos telemóveis os locais onde estiveram...



E com umas sardinhas na Baixa à minha espera para almoçar, fui descer o dito Caracol, que não é nenhum caracol mas sim um zigue-zague.
No primeiro zigue, parei, pensei: -as sardinhas que esperem!

Não resisti à nesga de vista com o miradouro da Graça mesmo por cima e o da Nossa Senhora do Monte a dominar a paisagem.

É mesmo bom poder parar, olhar, ver, desenhar, eternizar momentos... as sardinhas, felizmente, ainda estavam à minha espera!


terça-feira, 13 de junho de 2017

-porque é que não tira uma fotografia?...

 
Objectos do domínio público, com o Pedro Loureiro.
Uma sessão muito bem estruturada e cronometrada, uma forma de nos por a olhar para os pormenores que fazem a diferença num desenho, que dão escala, que definem o local onde estamos como único!
 
Comentário da personagem retratada no meu último desenho:
-mas porque é que está a desenhar?
-porque gosto...
-porque é que não tira uma fotografia?
 
E como tudo o que é bom passou depressa...
 









segunda-feira, 12 de junho de 2017

Pesado como chumbo

 
Em vésperas de ir para Fátima, arrancou a primeira aula dos 10 years x 10 classes.
 
No Diário de Notícias, armados em jornalistas, por lá andámos ouvindo, aprendendo, desenhando, inventando...
Não quero com isto dizer que os jornalistas inventem....
O objecto-tema foi um peso antigo, que era o que se usava antigamente para manter no lugar o papel vegetal quando se desenhavam os projectos de arquitectura. Herdei-o do meu pai.
 
Apesar da carga de água lá fora, e de ter que ir para casa a correr fazer a mala, foi muito divertido!
 
 






sexta-feira, 2 de junho de 2017

Sketch Tour Portugal - Fátima, Day 4

 
Quarto e último dia desta viagem. As saudades já começam a entrar, o antever de um final de uma amizade e cumplicidade que iam crescendo entre nós os quatro. E também o final de algo tão bom como passar o dia inteiro a desenhar...
Já com uma outra Fátima, mais calma e despojada de gentes, fomos conhecer o Caminho dos pastorinhos do qual, tenho que confessar, nunca tinha ouvido falar!
Também não sabia que o Anjo tinha aparecido três vezes em 1916, antes de a Nossa Senhora aparecer na Cova da Iria a 13 de Maio de 2017.
 
 
                                                                Foto roubada ao Rob...
 
 
Os pastorinhos faziam este caminho todos os dias até à Cova da Iria, numa extensão de cerca de 2 km.
 
O caminho começa na rotunda sul de Fátima, e ao longo dele foram depois construídas as várias estações de Cristo. Grupos de peregrinos, de todas as nacionalidades, vão caminhando, parando, rezando.
 
Fomos até à Loca do Anjo, onde parámos e cada um no seu silêncio, começámos a desenhar.
Achei lindo o enquadramento das árvores à volta das estátuas dos pastorinhos e do anjo.
 
 
 




Outro local muito visitado, no final desse caminho, é a casa onde os pastorinhos viveram. Carradas de turistas entram e saem, tiram fotos, selfies... Apesar do espaço reduzido, e de haver uma baia a vedar a entrada, pedi à menina que estava a tomar conta da casa e consegui sentar-me (no meu banquinho) mesmo junto à janela do quarto onde Francisco faleceu. Foi a 4 de Abril de 1919, dois anos apenas depois das aparições.
As pessoas entravam, mas nem me viam (e ainda bem...), diziam uns: este é o quarto do Jacinto? Não, do Francisco, respondia outro...
Um momento de tranquilidade para mim, alheada do rebuliço à minha volta...






A casa por fora, a parede em pedra onde foi tirada a famosa fotografia dos três pastorinhos.
Montes de gente a passar, mas o que é que isso interessa? O bom do desenho também é isso, coloco o que quero, a realidade pode ser o que eu quiser...





Mas realidade mesmo foram estes quatro dias maravilhosos, que seguramente nunca irei esquecer!
Obrigada Kasia, Rob e Eduardo, que bom desenhar, estar e aprender convosco, obrigada Pedro e Duarte, que tão bem captaram alguns dos nossos momentos, e obrigada ao Turismo de Portugal e ao Mário, essa cabeça que não para de imaginar coisas giras!

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Sketch Tour Portugal - Fátima, Day 3

 
Se já tinha sido difícil à noite movimentarmo-nos, no dia 13 de manhã já era quase impossível! Às 8 da manhã deixou de se conseguir entrar no recinto do santuário. Depois de muitas voltas e de furar entre a multidão, fomos para o lado sul do recinto. Perdemos logo a Kasia. O Rob e o Eduardo começaram a desenhar montras das lojas de artigos religiosos, mas eu ainda tentei de novo conseguir furar. Nem pensar, não se conseguia andar...
 
 

 
 
 
Nisto recebo uma mensagem do Rob a dizer que estavam num 2º andar com vista para todo o santuário. Tinham sido convidados pelo dono que os tinha visto a desenhar. A prova que o desenho abre fronteiras!
Juntei-me a eles, desenhei, assisti à missa, vi o papa Francisco passar mesmo por baixo do local onde estávamos! Foi maravilhoso!
 
Como escreveu o Rob, a visão da multidão parecia um quadro do Jackson Pollock...
 
 

 
 
 
Durante a celebração da missa, as pessoas passaram longas horas junto das baias, no que se esperava ser o caminho de saída do Papa. Na expectativa de o ver passar junto delas, na expectativa de uma bênção, de uma promessa realizada...
 
 



Fátima ficou impossível de circular durante todo o dia. Fomos entrevistados para o filme que contém também imagens nossas a desenhar durante o tempo ali passado:

https://www.youtube.com/watch?v=fmTpdx6g7pU


Só consegui fazer mais um desenho, dentro da basílica da Santíssima Trindade, ainda a descomprimir um pouco de tanta emoção...